Na primeira metade do sec. XX, a dedicação à produção agrícola de diversas culturas, fez com que nascesse um ambicioso projecto no Ribatejo.

Esse mesmo projecto, é nos dias de hoje uma paixão familiar de três gerações, que cresce nas margens do rio Tejo, junto à Vila de Tramagal, e que se estende por uma área com cerca de 250 hectares, distribuídos entre vinhas e diversas culturas arvenses protegidas por uma pequena área de pinhal.

A diversidade paisagística da exploração tem permitido a permanência de algumas espécies cinegéticas – a perdiz, o pato bravo, o javali e, muito especialmente, o coelho, espécie abundante que terá dado origem ao nome da propriedade – a Quinta do Casal da Coelheira.